Casa de Repouso pra Idosos - Rio de Janeiro

CENTRO RESIDENCIAL GERIÁTRICO LA RESIDENCE

PARKINSON

O QUE É A DOENÇA DE PARKINSON EM IDOSOS?

A doença de Parkinson é uma doença do sistema nervoso que afeta a capacidade do idoso de controlar o movimento. A doença de Parkinson geralmente começa lentamente e piora com o tempo. Se o seu familiar tem a doença de Parkinson, ele/a pode apresentar tremor, rigidez muscular e apresentar movimentos lentos com dificuldade para andar, manter o equilíbrio e a coordenação.

Se o seu familiar tem a doença de Parkinson, ele/a pode apresentar tremor, rigidez muscular e apresentar movimentos lentos com dificuldade para andar, manter o equilíbrio e a coordenação. A medida que a doença piora, seu familiar pode ter problemas para falar, dormir, problemas de memória, sofrer alterações comportamentais e ter outros sintomas, por esse motivo uma casa de repouso especializada em idosos com Parkinson pode ser a melhor solução por conta de integrar uma equipe multidisciplinar 24 horas, apoiando o idoso com Parkinson e a  família.

Financeiramente se torna mais viável para a família também por conta do alto custo variável e fixo que seria montar uma estrutura especializada em casa. Importante certificar que o Residencial Geriátrico é especializado para atender as necessidades do idoso com Parkinson.

Parkson desease hands.jpeg

COMO O IDOSO CONTRAI A DOENÇA DE PARKINSON?

Cerca de 50% mais homens idosos do que mulheres idosas contraem a doença de Parkinson. É mais comumente visto em pessoas com 60 anos de idade ou mais. No entanto, até 10% dos pacientes são diagnosticados antes dos 50 anos

A Organização Mundial de Saúde (OMS) mostra que aproximadamente 1% da população mundial com idade superior a 65 anos tem a doença de Parkinson . No Brasil, estima-se que 200 mil pessoas sofram com o problema. O perfil demográfico do Brasil e do mundo está se modificando.

A expectativa de vida está aumentando e provavelmente, continuará em ascensão nas próximas décadas, o que significa dizer que a população está envelhecendo e com ela uma maior incidência e prevalência de doenças crônicas, como a Doença de Parkinson.

Estudos epidemiológicos confirmam que, com o avanço da idade, há um aumento da prevalência da doença de Parkinson, aumentando progressivamente em até dez vezes por volta dos 50-80 anos. Dados nacionais estimam que a expectativa de vida no Brasil, em 2030, será de 78,6 anos e, em 2060, de 81,2 anos. O que significa dizer que teremos um maior número de idosos e portanto um aumento de diagnósticos da Doença de Parkinson.

parkinson.jpeg

Não existem estatísticas oficiais brasileiras, mas estudos internacionais estimam que o número de pacientes com Doença de Parkinson no Brasil dobrará até 2030. Dados publicados através de pesquisa realizada em uma cidade brasileira, estimou que o número de pessoas com Doença de Parkinson representaria cerca de 3% da população com 60 anos ou mais.

Levando em consideração que a população brasileira nessa faixa etária seria de 21 milhões de pessoas, chegamos a um número provável de 630 mil brasileiros com Parkinson.

Cerca de 60.000 novos casos de doença de Parkinson são diagnosticados nos Estados Unidos a cada ano. Por esse e outros motivos fazer a escolha certa para seu familiar é crucial para a sua qualidade de vida e longevidade.

A DOENÇA DE PARKINSON É HEREDITÁRIA?

Os cientistas descobriram mutações genéticas que estão associadas a Doença de Parkinson em idosos.

Há uma crença de que alguns casos de doença de Parkinson acontecem precocemente, a doença que começa antes dos 50 anos podem ser herdados. Foi identificada  uma mutação genética em pessoas com doença de Parkinson cujos cérebros contém corpos de Lewy, que são aglomerados da proteína alfa-sinucleína. Os cientistas estão tentando entender a função dessa proteína e sua relação com mutações genéticas que às vezes são vistas na doença de Parkinson e em pessoas com um tipo de demência chamado demência de corpos de Lewy.

Várias outras mutações genéticas foram encontradas para desempenhar um papel na doença de Parkinson. Mutações nesses genes causam funcionamento anormal das células, o que afeta a capacidade das células nervosas de liberar dopamina e causa a morte das células nervosas.

Os pesquisadores ainda estão tentando descobrir o que causa a mutação desses genes para entender como as mutações genéticas influenciam o desenvolvimento da doença de Parkinson em idosos e pessoas antes dos 50 anos.

Os cientistas pensam que cerca de 10% a 15% dos idosos com doença de Parkinson podem ter uma mutação genética que as predispõe ao desenvolvimento da doença. Há também fatores ambientais envolvidos que não são totalmente compreendidos.

SINTOMAS E CAUSAS:

O QUE CAUSA A DOENÇA DE PARKINSON EM IDOSOS?

A doença de Parkinson ocorre quando as células nervosas (neurônios) em uma área do cérebro chamada substância negra ficam deficientes ou morrem. Essas células normalmente produzem dopamina, um produto químico (neurotransmissor) que ajuda as células do cérebro a se comunicarem (transmite sinais, “mensagens”, entre áreas do cérebro). Quando essas células nervosas ficam deficientes ou morrem, elas produzem menos dopamina. A dopamina é especialmente importante para o funcionamento de outra área do cérebro chamada gânglios da base

Esta área do cérebro é responsável por organizar os comandos do cérebro para o movimento do corpo. A perda de dopamina causa os sintomas de movimento observados em pessoas com doença de Parkinson.

Idosos com a doença de Parkinson também perdem outro neurotransmissor chamado norepinefrina. Este produto químico é necessário para o bom funcionamento do sistema nervoso simpático. Este sistema controla algumas das funções autonômicas do corpo, como digestão, frequência cardíaca, pressão arterial e respiração.

A perda de norepinefrina causa alguns dos sintomas não relacionados ao movimento da doença de Parkinson.

Não temos a certeza do que causa a morte dos neurônios que produzem esses neurotransmissores químicos

parkinson neu.jpeg

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA DOENÇA DE PARKINSON EM IDOSOS?

Os sintomas da doença de Parkinson e a taxa de declínio variam muito de idoso para idoso. Os sintomas mais comuns incluem:

Tremor:

A agitação começa nas mãos e braços. Também pode ocorrer na mandíbula ou pé.

Nos estágios iniciais da doença, geralmente apenas um lado do corpo ou um membro é afetado.

A  medida que a doença progride, o tremor pode se tornar mais disseminado. Piora com o estresse.

O tremor geralmente desaparece durante o sono e quando o braço ou perna do idoso está sendo movido. Em uma casa de repouso especializada em idosos com Parkinson o nível de estresse é menor  ou inexistente por conta da equipe treinada atender todas as demandas 24 horas.

Lentidão do movimento (bradicinesia)

Esta é a desaceleração do movimento e é causada pela lentidão do cérebro do idoso em transmitir as instruções necessárias para as partes apropriadas do corpo. Este sintoma é imprevisível e pode ser rapidamente desabilitado. Em um momento o idoso pode estar se movendo facilmente, no próximo o idoso pode precisar de ajuda para se mover e terminar tarefas como se vestir, tomar banho ou sair de uma cadeira. O idoso pode até arrastar os pés enquanto caminha. No centro residencial Geriátrico La Residence os idosos sempre são acompanhados por duas técnicas de enfermagem o que assegura a manutenção das tarefas de vida diária e a saúde do idoso.

How-to-Prevent-Falls-in-The-Elderly.jpeg

Músculos rígidos/membros rígidos:

Rigidez é a incapacidade dos músculos dos idosos relaxarem normalmente. Essa rigidez é causada pela tensão descontrolada dos músculos e resulta em o idoso não ser capaz de se mover livremente. O idoso pode sentir dores nos músculos afetados e sua amplitude de movimento pode ser limitada. Fornecemos fisioterapia, terapia ocupacional e atividades todos os dias para apoiar o idoso e diminuir o avanço dos sintomas .

Caminhada instável, problemas de equilíbrio e coordenação:

O idoso pode desenvolver uma inclinação para a frente que o torna mais propenso a cair quando esbarrado. O idoso pode dar passos curtos e arrastados, ter dificuldade para começar a andar e parar e não balançar os braços naturalmente enquanto caminha. O idoso pode sentir que seus pés estão presos ao chão ao tentar dar um passo. Torção muscular, espasmos ou cãibras (distonia). O idoso pode sentir uma cãibra dolorosa no pé ou dedos dos pés enrolados e cerrados. A distonia pode ocorrer em outras partes do corpo. Uma equipe 24 horas de apoio é a melhor solução para evitar quedas, seguido de atendimentos diários de fisioterapia para trazer mais fortalecimento para o idoso que definitivamente melhorará sua vida e trará felicidade para a família durante as visitar e passeios. A intenção do Residencial Geriátrico La Residence é essa, apoiar a família nesse momento uma vez que ter toda essa estrutura em casa é praticamente impossível, por esse motivo o Grupo La Residence oferece essa estrutura especializada.

Needs-Being-Met_opt.jpeg
parkinsons-misdiagnosed.jpeg

Postura em cifose:

O idoso tem uma postura “curvada”. O que compromete o equilíbrio e pode levar a quedas.

OUTROS SINTOMAS EM IDOSOS INCLUEM:

Expressões faciais diminuídas:

O idoso pode não sorrir ou piscar com a mesma frequência que a doença piora. Seu rosto não tem expressão. Tem percebido isso em seu familiar

Fala e ou mudanças vocais:

A fala pode ser rápida, ficar arrastada ou ter um tom suave. O Idoso pode hesitar antes de falar. O tom da sua voz pode ficar alterado.

Alterações de caligrafia:

A caligrafia do idoso pode ficar menor e mais difícil de ler.

Depressão e ansiedade:

Problemas de mastigação, deglutição e sialorréia ( saliva intensa ).

Distúrbios do sono:

Incluindo sono interrompido, realização de sonhos e síndrome das pernas inquietas. Dor, desinteresse, fadiga, alteração de peso, alteração da visão.

Dor, desinteresse, fadiga, alteração de peso, alteração da visão.

Problemas urinários. 

Dificuldades de “pensamento” e ou problemas de memória. 

Alucinações e ou delírios. 

Prisão de ventre. 

Problemas de pele, como caspa. 

Perda de olfato.

Se você esta percebendo e identificando essas informações em seu querido familiar entre em contato com um especialista imediatamente. ISSO NÃO É UMA FERRAMENTA DE DIAGNOSTICO.

Através dessas informações você pode entender a demanda de cuidados que seu familiar com Parkinson necessita em 24 horas.

QUAIS SÃO OS DIFERENTES ESTÁGIOS DA DOENÇA DE PARKINSON EM IDOSOS?

Cada idoso com doença de Parkinson experimenta sintomas de maneira única.

Nem todo idoso experimenta todos os sintomas da doença de Parkinson. O idoso pode não apresentar sintomas na mesma ordem que os outros. Alguns idosos podem apresentar sintomas leves; outros podem ter sintomas intensos. A rapidez com que os sintomas pioram também varia de idoso para idoso e é difícil ou impossível prever no início. 

Em geral, a doença progride do estágio inicial para o estágio intermediário, para o estágio médio tardio e para o estágio avançado. Isso é o que normalmente ocorre durante cada um desses estágios:

ESTÁGIO INICIAL DE PARKINSON EM IDOSOS

Os primeiros sintomas da doença de Parkinson em idosos são geralmente leves e geralmente ocorrem lentamente e não interferem nas atividades diárias. Às vezes, os primeiros sintomas não são fáceis de detectar ou o idoso pode pensar que os primeiros sintomas são simplesmente sinais normais de envelhecimento. Atenção!!! O idoso vai tentar se convencer e convencer a família que é normal. Os idosos fazem isso já estando no Residencial Geriátrico La Residence. O idoso pode ter fadiga ou uma sensação geral de desconforto. O idoso pode sentir um leve tremor ou ter dificuldade em ficar de pé. Atenção com o risco de quedas que podem trazer problemas ainda maiores.

estagio 1.jpeg

Muitas vezes, um membro da família ou amigo percebe alguns dos sinais sutis antes de você. Eles podem notar o rigidez corporal ou falta de movimento normal (sem balanço do braço ao caminhar), caligrafia lenta ou pequena, falta de expressão em seu rosto ou dificuldade em sair de uma cadeira. Qual o motivo dos membros da família e amigos perceberem e você não? Simplesmente porque eles tem menos contato com o idoso do que você! Então é mais fácil fazer uma comparação em relação a ultima vez que o viu para o momento atual.

Por que o familiar fica com o idoso todos os dias o familiar não percebe, acha normal ou acostumou e somente no estágio avançado que toma uma decisão de buscar ajuda. Quando isso acontece fica muito mais difícil e sofrível para o idoso e a família por esse motivo busque ajuda antes e escute as pessoas ao seu redor. Outro fator importante está  relacionado a família conversar e discutir muito e demorar para tomar uma decisão agravando o quadro do idosos. Sabemos que é uma decisão difícil, mas nos níveis de estágio médio tardio para o estágio avançado intermediários e avançados isso não pode ocorrer como você vai ver abaixo.

ESTÁGIO INTERMEDIÁRIO DE PARKINSON EM IDOSOS

Os sintomas começam a piorar. Tremores, rigidez muscular e problemas de movimento podem agora afetar ambos os lados do corpo do idoso. Problemas de equilíbrio e quedas estão se tornando mais comuns. O idoso ainda  pode ser totalmente independente, mas as tarefas diárias da vida cotidiana, como tomar banho e se vestir, estão se tornando mais difíceis de fazer e demoram mais para serem concluídas. Outra questão que sempre alertamos os familiares é quando o familiar que reside com o idoso que tem Parkinson também é idoso, nesse caso a família precisa tomar uma decisão mais rápida porque pode estar comprometendo ambos.

estagio 2.jpeg

FASE MEIO-FINAL DE PARKINSON EM IDOSOS

Ficar em pé e andar estão se tornando mais difícil e podem exigir assistência com algum tipo de órtese ( tipo andador) . O idoso pode precisar de ajuda em tempo integral para continuar morando em casa. Acredite nas palavras de médicos e especialistas em Geriatria! Um cuidador não atende essa demanda. São necessários pelo menos 2 técnicos de enfermagem e 1 enfermeiro seguido de visitas de médicos e fisioterapeutas para que o idoso esteja sendo visto com dignidade. Os medicamentos, novos medicamentos, ajustes de doses, troca de medicamentos podem deixar o idoso altamente agitado, agressivo, depressivo e inúmeros outros. Quem tem um familiar nesse nível entende muito bem o que está sendo informado. O intuito desse informativo é  para poder lhe preparar para tomar a decisão correta.

ESTADO AVANÇADO DE PARKINSON EM IDOSOS

Agora o idoso precisa de uma cadeira de rodas para se locomover ou está acamado. O idoso pode ter alucinações ou delírios. Agora o idoso precisa de cuidados de enfermagem em tempo integral. Lembre-se! Levantar o idoso da cama, deitá-lo na cama, fazer mudança de decúbito, colocar na cadeira de rodas e levar ao banheiro  requer duas pessoas para que seja seguro, em caso de homens pode ser ainda mais complicado por conta da força física e peso corporal.

estagio 3.png
DgBZrx8VfHR1NTc1p0AJlupl.jpeg

DIAGNÓSTICO E TESTES DE PARKINSON EM IDOSOS

COMO A DOENÇA DE PARKINSON É DIAGNOSTICADA EM IDOSOS?

Diagnosticar a doença de Parkinson às vezes é difícil, pois os sintomas iniciais podem imitar outros distúrbios e não há exame de sangue específico ou outros exames laboratoriais para diagnosticar a doença. Exames de imagem, como tomografia computadorizada  ou ressonância magnética, podem ser usados para descartar outros distúrbios que causam sintomas semelhantes.

Para diagnosticar a doença de Parkinson, o idoso ou familiar será questionado sobre seu histórico médico e histórico familiar de distúrbios neurológicos, bem como sintomas atuais, medicamentos e possível exposição a toxinas. O médico procurará sinais de tremor e rigidez muscular, observará o idoso andar, verificará a postura e coordenação e procurará lentidão de movimento.

 A doença de Parkinson é diagnosticada por exclusão de outras doenças. 

QUAIS MEDICAMENTOS SÃO USADOS PARA TRATAR A DOENÇA DE PARKINSON EM IDOSOS?

Os medicamentos são os principais métodos de tratamentos para idosos com a doença de Parkinson. O médico da família ou do idoso trabalhará em estreitar a colaboração com o idoso ou a família para desenvolver um plano de tratamento mais adequado para o idoso com base na gravidade de sua doença.

Medicamentos administrados  na doença de Parkinson:

• Ajudar as células nervosas do cérebro a produzir dopamina.

• Imitar os efeitos da dopamina no cérebro.

• Bloquear uma enzima que decompõe a dopamina no cérebro.

• Reduzir alguns sintomas específicos da doença de Parkinson.

pill bottle.jpeg

Se você acha que seu familiar pode ter a doença de Parkinson, provavelmente deve consultar um neurologista, de preferência um neurologista treinado em distúrbios do movimento. As decisões de tratamento tomadas no início da doença podem afetar o sucesso a longo prazo do tratamento.

PREVENÇÃO DE PARKINSON EM IDOSOS?

A doença de Parkinson pode ser prevenida em idosos?

Infelizmente não. A doença de Parkinson é uma doença de longo prazo que piora com o tempo. Embora não haja como prevenir ou curar a doença atualmente os medicamentos podem aliviar significativamente seus sintomas. Em alguns idosos, especialmente aqueles com doença em estágio avançado, a cirurgia para melhorar os sintomas pode ser uma opção.

Qual é a perspectiva para idosos com a de doença de Parkinson?

De acordo com os estudos e especialistas embora não tenha cura ou evidência absoluta de maneiras de prevenir a doença de Parkinson em idosos, os cientistas estão trabalhando para aprender mais sobre a doença e encontrar maneiras inovadoras de melhor gerenciá-la, impedir que ela progrida e, finalmente, curá-la.

VIVENDO COM PARKINSON?

Que mudanças de estilo de vida o idoso pode fazer para aliviar os sintomas de Parkinson?

Como incorporamos essas mudanças no Centro residencial Geriátrico La Residence?

Exercícios: O exercício ajuda a melhorar a força muscular, equilíbrio, coordenação, flexibilidade e tremor. Acredita-se também que melhora a memória, o pensamento e reduz o risco de quedas e diminui a ansiedade e a depressão. Um estudo em idosos com doença de Parkinson mostrou que 2,5 horas de exercício por semana resultou em melhor capacidade de movimento e um declínio mais lento na qualidade de vida em comparação com aqueles que não se exercitavam ou só começaram mais tarde no curso da doença.

Alguns exercícios a serem considerados incluem treinamento de fortalecimento ou resistência, exercícios de alongamento ou aeróbica (corrida, caminhada, dança). Todos os tipos de exercício são úteis. No Centro Residencial Geriátrico La Residence contamos com fisioterapia, terapia ocupacional e atividades 7 dias por semana.

Alimentar se com uma dieta saudável e equilibrada: Isso não é apenas bom para sua saúde geral, mas pode aliviar alguns dos sintomas não relacionados ao movimento do Parkinson, como constipação. Comer alimentos ricos em fibras, em particular, pode aliviar a constipação. A dieta mediterrânea é um exemplo de dieta saudável. Usamos a palavra alimentar-se por que as vezes alguns alimentos podem não ser da escolha da pessoa, por esse motivo técnicas e receitas diferentes são necessárias para o idosos obter os nutrientes.

Prevenir quedas e manter o equilíbrio: As quedas são uma complicação frequente do Parkinson.

Embora o idoso possa fazer muitas coisas para reduzir o risco de queda, as duas mais importantes são:

1-Trabalhar com seu médico para garantir o  tratamento medicamentoso. 

2- Consultar um fisioterapeuta que possa avaliar sua caminhada e equilíbrio. O fisioterapeuta é o especialista quando se trata de recomendar dispositivos assistidos ou exercícios para melhorar a segurança e prevenir quedas.

Como evitar quedas e perigos comuns em idosos com a doença de Parkinson?

Pisos: Remova todos os pisos soltos, fios e tapetes. Minimize a desordem.

Certifique-se de que os tapetes estejam bem presos e lisos. Mantenha os móveis em seu lugar habitual ou mude os moveis comprando moveis que facilitem a visualização do idoso. Encoste os moveis nas paredes e deixe o campo de passagem livre ou um caminho com fácil visualização.

Banheiros: Instale barras de apoio e fita antiderrapante na banheira ou no chuveiro. Use tapetes antiderrapantes no chão ou instale carpetes de parede a parede.  Botão de socorro também é importante.

Cozinha: Instale tapetes de borracha antiderrapante perto da pia e do fogão. Limpe os derramamentos imediatamente.

Entradas e Portas: Instale alças de metal nas paredes adjacentes às maçanetas de todas as portas para torná-las mais seguras ao passar pela porta.

O Centro Residencial Geriátrico La Residence é uma casa de repouso especializada e totalmente adaptada para a segurança dos idosos.

Escadas: Certifique-se de que os degraus, trilhos e tapetes estejam seguros. Instale um corrimão em ambos os lados das escadas. Se as escadas são uma ameaça, pode ser útil organizar a maioria de suas atividades no nível mais baixo para reduzir o número de vezes que o idoso deverá subir as escadas. No La Residence contamos com elevadores novos com alta tecnologia.

QUAIS SÃO ALGUMAS DICAS PARA O IDOSO MANTER O EQUILÍBRIO?

Para idosos no nível inicial, mesmo usando essas técnicas o idoso dever ter alguém para o apoiar.

Mantenha pelo menos uma mão livre o tempo todo. Tente usar uma mochila ou pochete para segurar as coisas em vez de carregá-las nas mãos. Nunca carregue objetos com as duas mãos ao caminhar, pois isso interfere no equilíbrio.

elderly-person-with-trembling-symptoms-parkinson-vector-31573064.jpeg

Tente balançar os dois braços da frente para trás enquanto caminha. Isso pode exigir um esforço consciente se a doença de Parkinson diminuiu seu movimento. No entanto, irá ajudá-lo a manter o equilíbrio e a postura e a reduzir as quedas.

Conscientemente, levante os pés do chão ao caminhar. Arrastar os pés é uma evidencia comum na perda de equilíbrio. Ao fazer curvas quando estiver andando use uma técnica em "U" de olhar para a frente e fazer uma curva ampla, em vez de girar bruscamente.

Tente ficar com os pés afastados na altura dos ombros. Quando seus pés estão juntos por qualquer período de tempo, você aumenta o risco de perder o equilíbrio e cair. Faça uma coisa de cada vez. Não tente andar e realizar outra tarefa, como ler ou olhar ao redor. A diminuição de seus reflexos automáticos complica a função motora, então quanto menos distração, melhor.

Não use sapatos de sola de borracha ou aderentes, eles  podem "pegar" no chão e causar tropeços.

Mova-se lentamente ao mudar de posição. Use movimentos deliberados e concentrados e, se necessário, use uma barra de apoio ou auxílio para caminhar. Conte 15 segundos entre cada movimento. Por exemplo, ao se levantar de uma posição sentada, espere 15 segundos depois de ficar de pé para começar a andar.

Se você ficar "congelado", visualize passando por cima de um objeto imaginário ou peça a alguém que coloque o pé na frente do seu para passar por cima. Tente não ter um cuidador ou membro da família "puxando" você, isso pode desequilibrá-lo e até prolongar o episódio.

Se o equilíbrio for um problema contínuo, você pode considerar um auxílio para caminhar, como uma bengala ou andador. Depois de dominar a caminhada com ajuda, você pode estar pronto para tentar por conta própria novamente.

Ficamos felizes em poder compartilhar essas dicas com você e familiares, essas dicas fazem parte das técnicas  que usamos para apoiar idosos com Parkinson no Residencial Geriátrico La Residence.

RECURSOS

Viver com a doença de Parkinson pode ser uma experiência frustrante. É normal sentir raiva, depressão e ansiedade. Você, idosos e seus familiares podem achar útil entrar em contato com outras pessoas que têm essa doença  para compartilhar seus conhecimentos e percepções, experiências e dicas de vida.

A integração social no Centro Residencial Geriátrico La Residence faz toda a diferença para idosos que sofrem com a Doença de Parkinson, juntamente com todas as terapias que são instituídas. Nossos profissionais são altamente especializados e preparados para lidar com idosos com doenças neurodegenerativas.

TRATAMENTO PARA O ALZHEIMER

Nossa equipe Multidisciplinar sob a direção da Dra Simone Neves que é a Diretora Clínica e Responsável Técnica do Grupo La Residence poderá lhe apoiar nesse momento delicado e tirar todas as suas dúvidas.

Não hesite em nos procurar. 

NOSSA UNIDADE

Conheça nossa unidade muito bem localizada na Zona Norte na Tijuca, 
Rio de Janeiro.