Casa de Repouso Zona Norte

CENTRO RESIDENCIAL GERIÁTRICO LA RESIDENCE

DEMÊNCIAS

ATENÇÃO FAMILIARES

O Centro Residencial Geriátrico La Residence é considerado uma casa de repouso especializada em Geriatria. Há 20 anos a clínica é a especializada em cuidar de idosos com doenças neuro-degenerativas e em especial as  Demências. Somos referência para outras clinicas e hospitais no estado do Rio de janeiro, que frequentemente nos encaminham pacientes com doenças neuro-degenerativas e Demências.

Nossa Visão, Missão e Valores é informar e apoiar as famílias nesse momento delicado, com informações e serviços para que tomem a melhor decisão. Aqui você encontrará informações importantes em relação a doença para que você esteja ciente de todos os recursos necessários para cuidar de um idoso com Demência.

A Demência muda significativamente a rotina das famílias e os efeitos negativos são maiores para o familiar mais próximo e não devem ser ignorados, uma vez que as chances desse familiar que cuida adoecer são altíssimas. Isso é intensificado quando o familiar que cuida do idoso também é idoso ou já tem problemas de saúde. Temos muitos exemplos de residentes que estão conosco para proteger o outro familiar da Demência.

A Demência muda significativamente a rotina das famílias e os efeitos negativos são maiores para o familiar mais próximo e não devem ser ignorados, uma vez que as chances desse familiar que cuida adoecer são altíssimas. Isso é intensificado quando o familiar que cuida do idoso também é idoso ou já tem problemas de saúde. Temos muitos exemplos de residentes que estão conosco para proteger o outro familiar da Demência.

alerta-grande_0_edited.jpg

Perguntas Frequentes sobre Demência que as famílias nos fazem no Centro Residencial Geriátrico La Residence.

Que tipo de demência meu familiar tem?

Qual é a diferença entre a doença de Alzheimer e outras demências?

O que causou demência no meu querido familiar?

Qual é o curso provável desse declínio? Quanto tempo ele/ela tem?

Que sintomas, além da perda de memória e qual será o ritmo do declínio do meu familiar?

O que um Centro Residencial Geriátrico pode fazer para retardar o declínio? (Quais medicamentos são eficazes e que resultados posso esperar deles? Que mudanças no estilo de vida serão úteis?)

E quanto aos suplementos e programas anunciados que afirmam curar a doença de Alzheimer? Quais atividades uma casa de repouso especializada em geriatria oferece?

Onde posso ir para saber mais sobre a demência do meu familiar?

Que ajuda está disponível para me guiar através da doença do meu familiar?

Se eu tiver um problema que possa estar relacionado a demência do meu familiar, para quem devo ligar?

Que planos devo fazer agora para me preparar para um momento em que meu familiar estará menos envolvido na tomada de decisões?

Como devo selecionar uma casa de repouso especialista em Geriatria?

Como posso preservar o que é importante para meu familiar?

À medida que a doença progride, como a clinica pode preservar meu familiar?

Tenho medo de meu familiar tornar-se dependente e um fardo. Isso vai acontecer?

Quando meu familiar vai precisar de ajuda em casa ou ir para uma casa de repouso especialista em Geriatria?

Meu familiar deve continuar a interagir com as pessoas mesmo que elas percebam que algo está diferente?

Como vai ser o convívio em um Centro Residencial Geriátrico?

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DE DEMÊNCIA EM IDOSOS?

A demência é um termo genérico para uma série de condições que afetam o cérebro. Os sintomas geralmente incluem dificuldades de memória, resolução de problemas, linguagem e julgamento. Por esse motivo o Idoso precisa de uma equipe multidisciplinar 24hrs recebendo estimulo e atenção.  Somente assim será capaz da doença evoluir mais lentamente preservando por mais tempo seu cognitivo tendo assim uma qualidade de vida prolongada. Quando o nível avançado da doença chegar terá menos dificuldades e rejeição por conta de já estar adaptado a todos os serviços que uma casa de repouso especializada em geriatria oferece.

Difficulty planning or solving problems.jpeg

Embora a demência afete principalmente adultos mais velhos, não é uma parte regular e esperada do envelhecimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que 5 a 8% ​​de pessoas com 60 anos ou mais têm demência.

 

Embora não haja uma maneira garantida de preveni-la, algumas estratégias podem ajudar.

A detecção e o tratamento precoce podem retardar sua progressão.  Infelizmente nos níveis intermediários e avançados somente Centros Residenciais Geriátricos especializados conseguem atender a altíssima demanda de serviços especializados, que se forem contratados individualmente se tornam financeiramente impossíveis de pagar e gerir.

O QUE É DEMÊNCIA EM IDOSOS?

Demência refere-se a um grupo de doenças neuro-degenerativas caracterizadas por declínio cognitivo, seja leve, moderado ou grave.

 

Pesquisadores que analisaram dados de 2000 a 2012 descobriram que cerca de 8,8% de pessoas com 65 anos ou mais nos Estados Unidos tinham uma forma de demência.

 

A demência geralmente é progressiva – os sintomas geralmente são leves no início e se tornam mais graves com o tempo.

mudanca de comportamento.jpeg

OS SINTOMAS DE DEMÊNCIA TENDEM A PIORAR COM O TEMPO E A IDADE

A taxa de progressão varia entre as pessoas. A genética, a idade e a saúde geral, bem como a causa subjacente da demência, podem desempenhar um papel na rapidez com que a doença progride.


A demência tem estágios distintos que moldam o tratamento e impactam a saúde de diferentes maneiras. Deve-se notar que os cientistas desenvolveram diferentes sistemas para uma variedade de tipos de demência, incluindo a demência que ocorre com a doença de Alzheimer.

Nenhum sistema é perfeito, e os estágios muitas vezes se sobrepõem. Os sintomas podem aparecer em certos estágios e depois desaparecer, enquanto outros efeitos na saúde pioram progressivamente. Acompanhamento médico, equipe de enfermagem, fisioterapia e terapia ocupacional garantem a proteção do idoso. Quando o idoso fica em casa ou quando a família não consegue monitorar o idoso com demência, ofertar as diversas terapias  e a permanência no isolamento social, a chance da doença evoluir é maior.

Nao saber onde colcar as coisas.jpeg

Familiares tem dificuldade em identificar essas mudanças em idosos com demência, mesmo muitos sabendo que o idoso já obteve o diagnóstico por um especialista.

 

Qual o motivo então? A família acaba se acostumando com as demandas do idoso e não percebem que o quadro esta ficando mais avançado. Infelizmente a família desperta quando o idoso sofre uma queda, é hospitalizado, os vizinhos chamam a polícia, agressões acontecem ou até situações piores, para a surpresa de todos quando o idoso esta prestes a receber alta do hospital é informado que ele não pode ficar em casa sem uma estrutura para lidar com o seu quadro demencial. Nesse momento a melhor opção e conversar com um profissional da área da saúde especializado para sugerir como lidar com a situação.

Segue abaixo informações importantes para você avaliar seus familiares idosos:

SINTOMAS INICIAIS

A demência muitas vezes, começa com um leve declínio na capacidade de pensar. Por exemplo, uma pessoa pode esquecer uma conversa recente ou o nome de um objeto familiar.

 

Tenha em mente que todo mundo tem momentos em que algo fica preso na ponta da língua e isso é normal. A demência vai além disso. Momentos como esses acontecem com maior frequência, embora possam não reduzir inicialmente a qualidade de vida ou a capacidade de uma pessoa funcionar no dia-a-dia. Os primeiros sintomas também podem incluir uma diminuição da capacidade de realizar certas tarefas, como pagar contas ou seguir uma receita. Pessoas próximas a um indivíduo com demência também podem notar mudanças sutis na personalidade. Acredite isso não é normal!

 

Nesta fase, uma pessoa com demência pode começar a perceber que algo não está certo, mas pode optar por esconder seus sintomas. É nesse momento que muitos familiares também preferem não acreditar no que está acontecendo, por conta de não querer imaginar o futuro da pessoa e o sofrimento que sentirá. Isso faz com que o ser humano pense na morte do ente querido, lembrando de como a pessoa era antes da doença, isso tudo causa em muitos familiares um conflito interno, ao invés de evitar a aceitação é importante buscar ajuda, informações e um especialista para lidar com o momento. Quanto mais rápido o tratamento iniciar melhor para o idoso e a família.

 

Alguns tipos de demência podem afetar a linguagem, enquanto outras afetam mais a memória ou o movimento. É mais fácil distinguir os tipos em seus estágios iniciais.

ATENÇÃO PARA:

Dificuldades de memória: uma pessoa pode ter problemas com a memória de curto prazo e se esforçar para lembrar o que comeu no café da manhã, por exemplo. O que acontece com frequência é trocar o nome da pessoa por alguém que conheceu e viveu por muito tempo.

Geralmente o nome de um familiar.

Dificuldade de concentração: Isso pode envolver, por exemplo, ser incapaz de acompanhar uma conversa. O idoso não consegue acompanhar o assunto, fala o que quer e repete muitas vezes. Muitos familiares preferem acreditar que o problema é de audição.

Desorientação: Isso pode envolver confusão sobre horários e locais. Por exemplo, uma pessoa pode esquecer para onde está indo e lutar para voltar para casa. Sai de casa e não volta. Esquece o horário que comeu. Troca a noite pelo dia.

Problemas de comunicação: Uma pessoa pode esquecer palavras comuns ou substituir palavras que não se encaixam no contexto. Isso pode fazer com que sua fala e escrita sejam difíceis de entender. Grande dificuldade de falar no futuro. Persiste em falar do passado. 

Problemas com a percepção espacial: A pessoa com demência pode ter dificuldade em julgar distâncias e espaços, fazendo com que esbarre nas coisas.

Dificuldade em realizar tarefas rotineiras: Por exemplo, uma pessoa pode ter dificuldade em lembrar quais roupas vestir primeiro ou as etapas envolvidas na preparação de uma refeição familiar.

10 sinais iniciais.jpg

SINTOMAS DO ESTÁGIO INTERMEDIÁRIO

À medida que a demência progride, os sintomas tornam-se mais difíceis de esconder. Sintomas mais perceptíveis podem se desenvolver. Ajuda com autocuidado ou atividades cotidianas podem ser necessárias. As mudanças de personalidade podem se tornar mais perceptíveis. A pessoa pode experimentar paranoia, confusão ou medo, e a perda de memória pode aumentar.

Pessoas com demência moderada geralmente esquecem seu endereço ou outras informações pessoais, incluindo seu número de telefone.

Padrões de sono e humor também podem mudar.

Sabemos através dos meios de comunicação que infelizmente nesse momento o idoso pode cometer erros por conta da doença ou ser manipulado por outras pessoas a fazer isso. Por esse motivo pessoas de confiança precisam prestar muita atenção no que o idoso esta fazendo e com quem ele se relaciona. Em um Centro Residencial Geriátrico o Idoso fica muito mais seguro. Existe numa casa de repouso um CNPJ e Alvará por traz, e não simples cuidadores sem qualificação técnica e preparo, que se algo mais grave acontecer nunca irão se responsabilizar.

ATENÇÃO PARA:

Quando o idoso se torna mais esquecido...

Quando ele se perde em casa...

Tem cada vez mais dificuldade de comunicação.

Quando precisa de mais ajuda para cuidar de si mesmo..

Mudanças no comportamento, como fazer repetidamente as mesmas perguntas...

SINTOMAS DE DEMÊNCIA EM ESTÁGIO AVANÇADO OU GRAVE

Gradualmente, a demência pode progredir e tornar-se grave. Nesta fase, muitas vezes significativamente a memória fica prejudicada.

Uma pessoa com demência grave pode não reconhecer os membros da família.

 

Os sintomas da demência em estágio avançado podem incluir a incapacidade de se comunicar, andar e controlar a função intestinal e da bexiga. Nesse caso cuidadores não conseguem atender essa demanda é necessário técnicos de enfermagem e enfermeiros para lidar com o idoso.

 

A demência grave também pode causar rigidez muscular e reflexos anormais. Uma pessoa geralmente precisará de cuidados pessoais em tempo integral para comer, tomar banho e se vestir. A Fisioterapia e terapia ocupacional tornam-se extremamente necessárias.

Idosos com demência grave são vulneráveis a infecções, incluindo pneumonia e são incapazes de se mover na cama. Neste caso, as feridas por pressão são um grande risco. Por esse motivo a mudança de decúbito é de extrema importância. Para a mudança de decúbito ser feita corretamente a necessidade de treinamento para não machucar o idoso, no mínimo duas pessoas e deve acontecer a cada 2 horas ou dependendo da necessidade do idoso.


Conhecer os estágios da demência pode ajudar um familiar a lidar com o idoso e planejar o que fazer, mas todos com demência têm uma experiência única. É importante fazer as adaptações necessárias no estilo de vida, mantendo-se flexível para atender às necessidades à medida que elas evoluem. Atendimento integral 24horas é necessário nesse nível.

elderly-gentleman-400px.jpeg

ATENÇÃO PARA:

Problemas de memória: Uma pessoa pode não reconhecer sua casa ou familiares próximos.

Problemas de comunicação: Uma pessoa pode perder a capacidade de falar. Pode ajudar a se comunicar com eles usando expressões faciais, gestos e toque.

Mudanças comportamentais e psicológicas: As pessoas podem ficar agitadas, deprimidas ou ansiosas, e podem ter alucinações ou andar sem objetivo aparente.

Incontinência urinária: Isso pode ocorrer durante os estágios posteriores da demência.

Apetite e perda de peso: As pessoas podem ter dificuldade em comer e engolir. Eles também podem perder o apetite, resultando em perda de peso importante.

estágios.jpg

SINTOMAS POR TIPO DE DEMÊNCIA

Existem tipos de demência.

DOENÇA DE ALZHEIMER

Os sintomas incluem:

 

Problemas de memória.

Ficar confuso em ambientes desconhecidos.

Repetir perguntas.

Ter problemas para encontrar as palavras certas.

Tornar-se ansioso e retraído.

Ter problemas com números e dinheiro.

Ter dificuldade com tarefas diárias.

DEMÊNCIA POR CORPOS DE LEWY

Os sintomas incluem:

 

Sono perturbado.

Repetidos desmaios e quedas.

Movimentos físicos lentos.

Alucinações visuais.

Níveis flutuantes de confusão.

Períodos de estar visivelmente sonolento ou alerta.

DEMÊNCIA FRONTOTEMPORAL

Os sintomas incluem:

 

Mudanças de personalidade, como tornar-se menos sensível aos sentimentos dos outros.

Falta de consciência social ou tato, como fazer piadas inadequadas.

Dificuldade com a linguagem, como ser incapaz de encontrar as palavras certas.

Comportamentos obsessivos.

DEMÊNCIA VASCULAR

Os sintomas incluem:

 

Mudança de humor.

Problemas com o pensamento, dificuldade em prestar atenção.

Desafios de movimento, como achar difícil andar.

Sintomas semelhantes aos de um acidente vascular cerebral, como fraqueza muscular e paralisia ou paresia temporária.

10 formas.jpg

O QUE CAUSA A DEMÊNCIA?

A demência pode resultar de várias lesões e doenças cerebrais. A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência e é responsável por cerca de 70% dos casos. Cada tipo tem efeitos ligeiramente diferentes no cérebro. Por exemplo:

Doença de Alzheimer: Em uma pessoa com Alzheimer, o tecido nervoso no cérebro contém pequenos depósitos de proteínas chamados placas e emaranhados. Estes circundam as células e danificam suas estruturas internas, resultando em morte celular.

Demência vascular: Em uma pessoa com demência vascular, a falta de fluxo sanguíneo no cérebro reduz o suprimento de oxigênio, causando danos ou morte das células cerebrais. Um acidente vascular cerebral ou vasos sanguíneos danificados podem ser a causa subjacente.

Demência por corpos de Lewy: Em alguém com esse tipo de demência, depósitos de pequenas estruturas chamadas corpos de Lewy se formam dentro das células cerebrais. Essas proteínas interferem no funcionamento do cérebro e levam à morte das células cerebrais.

Demência fronto-temporal: refere-se a danos nas áreas frontal e lateral do cérebro. Em uma pessoa com demência fronto-temporal, agregações de proteínas dentro das células cerebrais fazem com que as células morram.

distanciamento social.jpeg

Com menos frequência, o seguinte pode causar demência:

Mal de Parkinson

HIV

Lesão cerebral traumática

Doença de Huntington

Doença de Creutzfeldt-Jakob

Degeneração basal cortical

Atrofia multissistêmica

Doença de Niemann-Pick tipo C

TRATAMENTO

Para tratar a demência, um médico pode prescrever um dos seguintes medicamentos:

Donepezil (Aricept)

Galantamina (Razadyne)

Rivastigmina (Exelon)

Esses medicamentos são inibidores da colinesterase. Eles ajudam aumentando os níveis do neurotransmissor acetilcolina, que desempenha um papel na memória e no julgamento. Para algumas pessoas, os médicos também prescrevem memantina (Namenda), que é um antagonista do receptor N-metil-D-aspartato, ou NMDA. Bloqueia substâncias químicas que podem danificar as células cerebrais

Esses quatro medicamentos são atualmente os únicos tratamentos eficazes licenciados para a demência.

Mais recentemente o  Canabidiol (CBD), uma das várias substâncias presentes na Cannabis, poderá ser uma saída. Segundo algumas pesquisas, o CBD pode evitar a criação de proteínas malformadas relacionadas ao Alzheimer.

 

Também há associação entre  os canabinoides e a proteção às células nervosas.

Em 2019, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a fabricação e a venda de medicamentos à base de Cannabis, que deverão ter prescrição médica.

Com a decisão, centenas de pacientes conseguiram acesso a medicamentos para tratar diversas doenças, entre elas o Alzheimer.

senior-couple-using-pills.jpg

Para uma pessoa com demência vascular, o médico provavelmente também prescreverá medicamentos para tratar o problema subjacente, que pode ser um acidente vascular cerebral ou danos nos vasos sanguíneos. Por esse motivo temos no Centro Residencial Geriátrico La Residence assistência médica 24 horas seguido de atendimento integral.

Além disso, um idoso com demência pode se beneficiar de tratamentos não medicamentosos, como:

Atividades que promovam a estimulação mental e social  

Treinamento de memória, Exercício físico, Exame físico, exames de sangue e exames de imagens: Estes podem descartar outras possíveis causas dos sintomas. Avaliações cognitivas: são testes que ajudam a verificar a memória e o pensamento de uma pessoa.

June-Feature-2021-Blood-Pressure-Check-medium.jpeg

DIAGNÓSTICO

Exame físicos e exames de sangue e de imagem: Estes podem descartar outras possíveis causas dos sintomas. Avaliações cognitivas: são testes que ajudam a verificar a memória e o pensamento de um Idoso.

Exame físicos e exames de sangue e de imagem: Estes podem descartar outras possíveis causas dos sintomas. Avaliações cognitivas: são testes que ajudam a verificar a memória e o pensamento de um Idoso.

diagnosing-dementia-inline.jpeg

QUANDO CONSULTAR UM MÉDICO?

Qualquer pessoa que tenha dúvidas sobre a memória do seu familiar idoso deve entrar em contato com um médico.

Se uma pessoa notar sintomas semelhantes a demência em outra pessoa, ela deve incentivá-la a consultar um médico. Pode ajudar acompanhar o idoso à consulta e fornecer apoio emocional.

PREVENÇÃO

Se uma pessoa notar sintomas semelhantes a demência em outra pessoa, ela deve incentivá-la a consultar um médico. Pode ajudar acompanhar o idoso à consulta e fornecer apoio emocional.

Uma revisão de 2017 Trusted Source de medidas preventivas conclui que o seguinte pode ter algum benefício:

Fazer exercícios regulares, Alimentação saudável, Limitar o estresse psicossocial, Limitar quaisquer episódios depressivos maiores 

CONCLUSÃO

Idosos com demência passam pelos estágios em velocidades diferentes e experimentam sintomas diferentes. No entanto, os sintomas geralmente pioram com o tempo. Não há cura para muitos dos tipos comuns de demência. Receber o diagnóstico precocemente pode ajudar o idoso e seus entes queridos a planejarem o futuro. Os pesquisadores continuam trabalhando para encontrar novos tratamentos e possíveis curas.

Bem vindo ao Centro Residencial Geriátrico La Residence!

Somos Gente que cuida de Gente!

Conte a nossa equipe multidisciplinar especializada para lhe apoiar nesse momento.

Dra. Simone Neves

Diretora Multidisciplinar/ Resp. Técnica.

dementia_behaviors.jpeg